Thalita Campedelli Thalita Campedelli -
13 de janeiro de 2015
Metas para 2015

Acho que não tem nada mais comum no começo de ano do que nos comprometermos a mudar algo durante os próximos 365 dias. O ano muda e a vontade de mudarmos certas coisas na nossa vida aparece, como que do nada. Acho esse sentimento super válido! O problema, pelo menos para mim, é que eu sempre me comprometo com metas enoooormes, sem ter a mínima noção de como realizá-las. Esse ano reformulei minhas metas e vou focar em coisas simples, porém muito importantes pra mim. Vou começar pequeno e ir aos poucos.

Gravei um vídeo falando sobre as minhas metas para o ano de 2015:

Espero que no ano que vem, ao rever esse vídeo, descubra que eu consegui realizar tudo o que queria <3

E pra você? Quais são suas metas de ano novo?


04 de janeiro de 2015
A decisão de ter um cachorro

Como muitas crianças por aí, eu sempre quis ter um cachorro. Na minha infância cheguei a ter uns dois, o que durou, no máximo, uma semana. Eu morava em apartamento e meus pais nunca se interessaram muito em arranjar mais trabalho do que já tinham, visto que tinham três filhos. Hoje eu vejo que eles estavam super certos: cachorro dá trabalho! Se o adulto não estiver a fim de cuidar, é melhor que nem tenha.

Na minha cabeça eu arranjaria um cachorrinho assim que virasse adulta (e saísse de casa), mas na realidade foi bem diferente. Pra variar, né? Eu precisei ter três filhos antes de pensar em ter cachorro! Meu marido também adorava a ideia, mas só fomos pensar nisso nesses últimos meses. Eu não lembro ao certo quem puxou o assunto, mas não demorou para decidirmos que teríamos um cachorrinho. Desse momento em diante começamos a pesquisar raças/preços/cuidados e tudo que é relacionado à decisão de adicionar mais um membro na família. Pensamos em tudo antes, porque, querendo ou não, comprar (ou adotar) um cachorro é uma mega decisão. Além da bagunça e cuidados que teríamos que ter com um filhote, precisaríamos reorganizar a casa, separar um orçamento para despesas de saúde e tudo mais. O André, que já amava o assunto, se empolgou e aprendeu muita coisa nessas semanas que demoramos para decidir. Começamos pesquisando sobre as raças que são mais populares com crianças: Golden Retriever, Labrador, Beagle e Collie. Riscamos todas elas da lista porque achamos que não estávamos preparados para pegar um cachorro médio/grande. Ficamos namorando buldogues franceses no Google durante alguns dias… Até que vimos que uma amiga (obrigada, Clara!) tinha tido uma ninhada de labradores.

Num primeiro momento até ri interiormente achando que era loucura, mas conversando com o André acabamos decidindo que tentaríamos! O labrador é conhecido por ser um cachorro extremamente dócil, inteligente e ativo. Pra gente isso se encaixou perfeitamente! O único problema era o tamanho do cachorro adulto. Depois de muita reflexão, percebemos que isso não era exatamente um problema pra gente. Deixa eu explicar melhor: o problema de ter um cachorro grande em casa é que ele morde e bagunça as coisas. Só que nós somos super desencanados com decoração e organização sistemática, isso porque temos três crianças pequenas em casa. Bastava reorganizar tudo e daria sim para receber o labrador.

E foi o que fizemos! Arranjamos um cantinho pra ele, providenciamos cercado, caixa de transporte, caminha e tudo mais.

O Django (Júnior, porque ele tem o mesmo nome do pai hahaha) está aqui em casa há pouco mais de duas semanas e já estamos extremamente acostumados. A fase do xixi e cocô no lugar errado já parou e ele nem chora mais. Na primeira noite ele ficou o tempo todo chorando e latindo, mas logo passou. As crianças (Bernardo e Tomás) morriam de medo dele no início, mas com a convivência hoje eles são super tranquilos e participativos. A Nina era meio bruta com ele no início e puxava, derrubava, apertava o cachorrinho. Então eu estava sempre tensa ao lado deles, tentando evitar uma resposta do Django. Mas deu tudo certo!

Os filhotes adoram morder as coisas e eu levei umas boas mordidas. Felizmente essa fase já passou quase que completamente e as crianças estão intactas. Muita gente me avisou que a raça é maravilhosa, mas eles são super bagunceiros e ativos… mas acho que minha expectativas eram tão assustadoras, que eu estou achando bem mais fácil do que esperava.

Esse é o Django!

Ele é bem novinho  e tem uma vida toda pela frente. Mal posso esperar <3

P.S. Gostaria de agradecer a duas pessoas que fizeram toda diferença nessa minha aventura com o André. Primeiramente à Clara, que foi quem nos deu o Django (obrigadaaaa!). E também à minha mãe que, mesmo sabendo o trabalho que ia dar, aceitou e apoiou quase que 100%! 


29 de dezembro de 2014
OS 5 POSTS MAIS LIDOS DE 2014

Ano passado eu fiz uma retrospectiva mostrando os 5 posts mais lidos de 2013 e achei super divertido! Comecei esse blog como uma forma de me comunicar com outras mães e acabei dividindo muita coisa legal com vocês! Então hoje, faltando 3 dias para o fim do ano, venho aqui mostrar para vocês os cinco posts mais lidos de 2014!

5

5º lugar: O aniversário do Bernardo na escola (4 anos)
Essa festa foi no final do ano passado, mas o post foi super lido nesse ano. Como a Nina era recém-nascida eu não fiz festa grande para os meninos, mas quis comemorar de um jeito mais fofo com os amiguinhos. Foi uma festa super simples, mas ficou super chamosa :) Para ler o post, clique aqui.

4

4º lugar: Três filhos em quatro anos
Em agosto de 2013 resolvi escrever um post falando um pouco sobre um assunto que me perguntavam (e ainda perguntam) muito: como/porque ter “tantos” filhos em tão pouco tempo. O post é bem breve e com certeza ainda exploro esse assunto no próximo ano. Mas gostei muito de saber que tem bastante gente procurando sobre esse assunto! Se quiser ler o post, clique aqui.

3

3º lugar: A lancheira e seus acessórios (atualizado)

Eu adoro montar e caprichar nos lanches escolares dos meninos! Sempre tento fazer direitinho para evitar que eles, que têm APLV, tentem comer o lanche do coleguinha. Fiz um post no ano passado mostrando a lancheira, os potes, as garrafas e tudo mais. Nesse ano, já que eu mudei algumas coisas, resolvi fazer outro post e atualizar vocês. Ano que vem vou mudar algumas outras coisinhas, mas por enquanto vocês podem ler esse post aqui.

2

2º lugar: A festa de 1 ano da Nina!

Em outubro a Nina completou 1 ano e nós comemoramos de uma maneira bem simples, em casa mesmo. Mas ficou tão bonitinho que eu resolvi mostrar aqui que dá pra fazer uma festa menor e mesmo assim deixar tudo lindo! Para ler o post, clique aqui.

1

1º lugar: Enxoval do bebê nos Estados Unidos + lista

E em primeiro lugar ficou o post contando sobre como eu fiz meu enxoval nos Estados Unidos, incluindo uma sugestão de lista feita por mim. Esse assunto é realmente bem procurado e, se você se organizar direitinho, dá para fazer um enxoval extremamente prático e muito lindo sem gastar muito. Para ler o post, clique aqui.

Foi uma delícia passar esse ano com vocês! Um feliz ano novo <3


23 de dezembro de 2014
O Natal na primeira infância: lembranças e aprendizagens significativas

Assim que liberei a nova versão do blog acabei tendo um pequeno grande problema com o servidor! Infelizmente fiquei impossibilitada de postar, mas felizmente isso já se resolveu! Hoje já é dia 23/12 e o ano chega ao fim na próxima semana. Estamos super perto do natal e essa época do ano sempre me faz lembrar de momentos maravilhosos na minha infância. Só de pensar em Natal tenho boas sensações! <3 Lembrando de tudo que meus pais faziam para tornar o natal algo mágico, fico pensando em como posso fazer o mesmo pelos meus filhos. Pensando nisso, resolvi compartilhar com vocês um texto escrito pela Teresa Ruas, especialista em desenvolvimento infantil e consultora Fisher-Price.

Quem de nós, adultos e pais atuais, não sentimos saudade do espírito natalino, vivenciado em nossas infâncias? Não há como negar que o Natal sempre teve um significado especial para as crianças e que, realmente, esse momento transforma ‘cenas reais’ em lembranças significativas e eternas. Mas, por que será que tudo isso acontece?

No período do Natal existem muitos símbolos, valores e crenças que modificam e mexem com os sentimentos, com a imaginação, com a ludicidade e com os próprios comportamentos diários das crianças.

E todo esse processo pode começar desde a montagem da árvore de Natal, dos enfeites decorativos em casa, até o dia em que tudo é desmontado e guardado, demarcando, para os pequenos, o início de um novo ano, com outras conquistas e experiências. Alguns pais podem estar se perguntando: como assim? Explicarei com algumas lembranças significativas de minha própria infância, pois minha filha ainda está pequena para eu vivenciar alguns desses momentos com ela.

Lembro- me, claramente, dos enfeites que minha mãe colocava na árvore de Natal. Eram desenhos, adornos, bolinhas pintadas e confeccionadas por mim e pelos meus irmãos. Eu me sentia extremamente orgulhosa de ter participado da decoração da casa, e das minhas ideias terem sido acolhidas pelos meus irmãos mais velhos.

Penso que esse hábito de pedir para a criança auxiliar na decoração da casa, de fazer escolhas e de aceitar a opinião dos outros membros familiares não pode ser perdido. É um momento extremamente rico, lúdico e prazeroso para pais, crianças e irmãos de diferentes faixas etárias se relacionarem bem de pertinho, além de aprenderem a respeitar cada um diante de suas características, habilidades e possibilidades. Afinal de contas, é a criança quem vai escolher o que fazer, como fazer e onde colocar. Além disso, é um momento para que a criança solte, livremente, a sua criatividade em meio a diversos materiais como bolas de isopor, canetinhas, tintas, lantejoulas, grãos, caixas de papelão, papel colorido, entre outros materiais.

E o que dizer de toda magia envolvida na figura do Papai Noel? Com certeza, é muito frequente que crianças pequeninas sintam medo do ‘bom velhinho’, mas com o crescimento, é esperado que o medo dê lugar a outros sentimentos. Muitas crianças esperam ansiosas pelo momento da escrita de sua carta. E esse hábito também não pode se perder, pois durante a escrita, a criança consegue expressar os seus sentimentos, as suas sensações, o que a fez feliz durante o ano, quais foram as dificuldades enfrentadas, quais são os desejos que ela apresenta, entre outros. Nesse processo de expressão dos sentimentos, os pais podem ‘captar’ mensagens que, às vezes, passam despercebidas durante o ano e, principalmente, trabalhar valores como o respeito, a admiração, a esperança, o perdão, a fraternidade e os bons comportamentos.

Portanto, a cartinha não deve ser um meio apenas para pedir o presente e, sim, um meio para que a criança expresse como foi o seu ano, como foram as suas experiências e, assim, possibilitarmos o aprendizado de valores e condutas importantes para o dia a dia de nossos pequenos na vivência familiar e escolar.

Além disso, todo o imaginário mágico envolvido no Natal pode se transformar em muita aprendizagem. Lembro-me claramente da minha mãe, com um mapa do mundo em suas mãos, explicando o lugar de ‘origem’ do Papai Noel e todo o trajeto que ele percorreria até chegar a Minas Gerais. Falávamos os nomes dos países, dos continentes, dos oceanos e aprendíamos que, além das crianças brasileiras, existiam varias outras crianças, com diferentes culturas, hábitos e que também iriam celebrar o Natal com suas famílias. Além de conceitos geográficos, minha mãe nos transmitia o espírito da diversidade e da igualdade, valores importantes no mundo contemporâneo e que muitas vezes são perdidos na relação com as crianças, especialmente com as pequenas.

Tenho notado que, às vezes, os pais não conversam sobre esses valores, não por não os acharem importantes, mas por não saberem como os introduzir e/ou como torná-los mais concretos para as crianças. O Natal é um excelente momento para introduzirmos valores humanos aos pequenos e falarmos a mesma língua das crianças. Afinal de contas, o aprendizado se torna muito mais real quando os adultos permitem que a imaginação, a criatividade e a ludicidade sejam os ‘chefes’ desse processo.

Portanto, convido todos os adultos que são pais a reviverem as suas lembranças natalinas, experimentando situações de amor, respeito e carinho com os seus próprios filhos, acrescidas de muita ludicidade, imaginação e aprendizagem!

Feliz Natal a todos e que o bom velhinho consiga renascer importantes valores em nosso dia a dia.

Um abraço,

Teresa Ruas.

cliqueaqui


08 de dezembro de 2014
Mudar é sempre bom

O ano de 2014 foi chegando ao fim e eu não pude evitar a minha vontade de mudar algumas coisas por aqui! Essa vontade vai e vem, já que a minha vida pessoal e a parte relacionada com a minha pessoal-pública (isso existe?) também está sempre mudando. O blog começou em janeiro de 2013 e, com a chegada da Nina, resolvi mudar o nome do blog e a aparência também. Mas isso foi no ano passado. Esse ano eu fiz (e ganhei) muitas coisas legais! A maioria delas ligada à família e à minha vida virtual aqui. Conheci muita gente legal, recebi boas propostas e aprendi muuuita coisa. A vontade de continuar e de fazer as coisas crescerem foi aumentando e eu resolvi, de uma vez por todas, abrir o leque de assuntos abordados aqui no blog. Eu já pensava nisso há tempos e sempre fiquei com receio de perder minhas leitoras que estavam apenas interessadas na parte de maternidade. Mas cheguei à conclusão de que eu preciso ser eu mesma e quem quiser me acompanhar vai acompanhar.

Quem é mãe não é só mãe. As crianças ocupam a maior parte do meu coração e dos meus pensamentos, mas eu também gosto de fazer outras coisas e gostaria de dividir isso com vocês. Para quem não sabe, eu tenho um canal no youtube (clique aqui!) e por lá comecei a dividir minha vida com vocês. As respostas foram mais do que positivas!

Venho aqui dizer então que o blog  passa a ser algo mais no estilo lifestyle. Continuarei abordando assuntos sobre maternidade, é claro, mas também vou falar sobre outras coisas que gosto: decoração, design, DIYs, organização, comida e muitas outras coisas da vida.

Espero de coração que vocês gostem, mas sintam-se à vontade para darem suas opiniões :)

PS: O visual do blog ainda não está terminado, mas me pediram muito a volta dele. Por isso a aparência dele pode mudar um pouquinho até chegar no resultado que eu quero! <3

a


27 de outubro de 2014
PARCERIA SHAKIRA + FISHER-PRICE!

Acho que todo mundo aqui conhece a Shakira, certo? A cantora já tem um filhinho chamado Milan, de quase dois anos, e agora está grávida novamente! Ela também criou a Fundação Pies Descalzos, em 1997, para ajudar crianças pobres, que precisam de educação e alimentação.

Shakira_email

Desse contexto todo, surge uma parceria bem legal entre a cantora e a marca Fisher-Price, uma das patrocinadoras da fundação. Essa parceria começa hoje com a estreia de uma web série de 12 episódios! Nos vídeos, Shakira fala sobre experiência que teve e tem como mãe, sobre o que aprendeu com a maternidade e o filho, sobre primeira infância e criação. Os vídeos já estão disponíveis no canal do Youtube da Fisher-Price (clique aqui para acessar). (youtube.com/ FisherPriceBrasil)

Acho que não é segredo para ninguém que eu adoro assistir vídeos de mães falando sobre suas experiências, então achei essa novidade super legal. Afinal, a parte mais importante da internet para mim (como mãe) é essa troca de experiências.

A cantora, que se preocupa bastante com o desenvolvimento do filho desde essa primeira infância, cocriou uma nova linha de brinquedos com a marca. Os brinquedos chegam nas lojas americanas em dezembro e nas brasileiras no primeiro semestre de 2015!

SHAKIRA_LogoTM_new

cliqueaqui



Layout e Programação
www.evelynregly.com